Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Novembro, 2012

No dia 31 de Outubro, realizou-se uma visita de estudo ao Museu de História Natural e da Ciência em Lisboa. Fizemos duas exposições. Uma com o nome de «Cores na cozinha» e outra de nome «Laboratório Chimico».

O primeiro atelier, foi «Cores na cozinha» onde realizámos diferentes experiências com produtos do dia-a-dia.

Tínhamos cinco tubos de ensaio, um suporte para os mesmos, solução de couve-roxa, limpa-vidros, vinagre, água e detergente líquido. Verifiquei que a solução de couve-roxa era um líquido, roxo e, na minha opinião, cheirava a álcool.

No primeiro tubo de ensaio, pusemos 5 mililitros de solução de couve-roxa. No segundo, fizemos o mesmo, mas acrescentámos duas gotas de vinagre o que fez com que o líquido passasse de roxo a rosa.

No terceiro tubo, pusemos na mesma 5 mililitros de solução de couve-roxa e, desta vez acrescentámos duas gotas de água. O resultado final não foi de admirar: o líquido manteve-se da mesma cor.

No quarto tubo em vez de acrescentarmos duas gotas de água, pusemos duas gotas de detergente líquido, o que deu um lilás escuro.

No quinto e último tubo de ensaio, pusemos os 5 mililitros de couve-roxa e acrescentámos duas gotas de limpa vidros e o líquido ficou verde.

Chegámos à conclusão que em contacto com a solução de couve-roxa:

-produtos ácidos – o líquido torna-se rosa (vinagre)

-produtos básicos – o líquido fica verde (limpa vidros)

-produtos neutros – o líquido mantem-se da mesma cor

No segundo atelier, «Laboratório Chimico», observámos uma sala de aula, um anfiteatro, do século XIX. Pertence à Escola Politécnica. Descobrimos que só havia rapazes nessa escola e os professores eram todos homens com carreira no exército.

Havia dez cadeiras anuais e a número seis era química. No século XIX, para além de se escrever química com «ch», esta disciplina designava-se de «Química geral e noções das suas principais aplicações às artes». Estas aulas duravam 1 hora e 15 minutos. Nos primeiros 15 minutos, o professor escolhia um aluno à sorte para ele dizer a matéria da aula passada. No resto da aula dava nova matéria.

No século XIX, os alunos não podiam tirar dúvidas com o professor, pois não lhe podiam dirigir a palavra. Nesse tempo, os alunos não podiam ocupar o mesmo espaço que o professor. O professor para ir para a sala de aula e entrava por uma porta diferente dos alunos.

Achei esta visita muito entusiasmante e cheia de curiosidades fantásticas. Adoraria repeti-la.

João Cruz, 18-11-2012

Anúncios

Read Full Post »

O Meu Super Fim de Semana

O meu fim de semana foi um pouco fora do normal. Foi fantástico! Fui ao Campo Aventura em Olho Marinho onde tive muitas aventuras. Todas elas «outdoor». Só mesmo quando íamos é que não. Mas isso também era uma grande aventura, só de pensar que dormíamos em beliches!

Fui com o meu pai e com os alunos do colégio onde ele trabalha. A parte de que gostei menos foi logo na viagem, pois não conhecia ninguém. Mas mal fomos à praia e fizemos surf, arranjei muitos amigos.

Já no Campo Aventura, conheceram-se os quartos e eu fiquei no número quatro. Adorei os meus colegas de quarto, pois eram super simpáticos e divertidos. Até quando era para a dormir estávamos sempre na palheta.

Gostei de todas as atividades menos de uma: a discoteca. A minha sorte é que um colega de quarto também não gostava e, já no quarto, jogámos às cartas enquanto os restantes dançavam.

Havia atividades super excitantes, como o «slide», a escalada, o percurso de bicicleta e os trampolins gigantes. Até havia piscina! Enfim, melhor não podia ser!

Foi um regresso muito triste, pois nestes três dias, quinta sexta e sábado, fiz amigos que nunca mais irei esquecer, e se calhar, nunca mais voltarei a ver.

 

 

João Cruz, 18-11-2012

Read Full Post »