Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Outubro, 2012

A Pobreza sempre existiu, ao longo dos tempos, e nos momentos de crise piora, faltando assim a algumas pessoas os cuidados básicos. Nomeadamente, costumam  faltar a algumas famílias, alimentos de boa qualidade  e a higiene suficiente, o que tem implicações  no nível de saúde dessas famílias.

Em relação aos cuidados alimentares, muitas pessoas, têm vindo a preocupar-se  com as famílias pobres.  Um exemplo disso é uma instituição internacional, a FAO, que tenta promover o acesso a produtos agrícolas e de boa qualidade alimentar, na vida das pessoas.

A cultura de Pobreza é aquela que passa de geração em geração baseada na perpetuação de deficiências ou insucessos.

Agora vamos  falar do segundo tema: A Exclusão Social

A exclusão social são dificuldades ou problemas, vividos por determinados grupos que não são aceites na sociedade. A Exclusão social é uma separação de pessoas, sendo normalmente excluídas as pessoas com menos posses.

Os fatores de exclusão podem ser a raça, a religião, a pobreza, as crenças, a incapacidade física ou psicológica, …

Foram entrevistadas algumas pessoas, sobre a sua opinião sobre o tema e uma das respostas foi que « A exclusão social  é um assunto muito sério, que afeta mentalmente ou fisicamente uma pessoa e pode levar à loucura se o caso for grave (…) »

A Pobreza e Exclusão Social, não deveria existir, por isso pedimos a todos que  apoiem esta causa!

Esta Reportagem foi feita para promover a Semana Contra a Pobreza e Exclusão Social.

Carolina Rosa, 6º ano

Anúncios

Read Full Post »

Era madrugada, quando acordei. A minha família era pobre, por isso, estava na hora de eu ir pedir esmola ao pé da igreja.

Depois de o movimento irromper pela cidade, ouviu-se um ruído estrondoso, que fez o chão tremer. Tentei fugir, mas depois de alguns minutos de corrida, a terra voltou a tremer; com medo, subi para uma grande árvore corpulenta, num sítio alto de Lisboa. Logo reparei  que a água estava a recolher. Foi uma sensação muito estranha e por isso acabei por permanecer na árvore corpulenta.

Mas desta vez o mal do tremer da terra não tinha vindo sozinho. Tinha vindo acompanhado por uma grande onda de cerca de vinte metros. No momento seguinte, vi a água destruir tudo o que havia sido construído durante todo o sempre, e logo via as chamas a tomarem conta da cidade. E os edifícios já caídos, eram assaltados, com o desespero das pessoas.

Dois dias depois do incidente, a cidade começou a cheirar a morte.

Vi a minha mãe a ser deitada ao mar e nesse momento vieram-me as lágrimas aos olhos. Nenhum familiar meu sobreviveu, ou pelo menos, nunca mais vi ninguém. Tive de me afastar mais da cidade para não apanhar doenças, pestes, …

Mas depois da tragédia, deu-se um milagre: Uma nova cidade acabara de ser construída. Vi a nova cidade, moderna, perfeita e reconstruída, e cheia de novas oportunidades.

Passei a ter uma melhor vida na «Lisboa Iluminada».

Para mim, só agora iria começar a minha vida!

 

Carolina Rosa, 11 anos, 6º ano

Read Full Post »

Todos aqueles que acham que as crianças são pequenos seres humanos com pouca importância estão muito enganados, pois as crianças têm os seus próprios direitos.

Os direitos das crianças são cinquenta e quatro, e todos muito importantes. Foram elaborados no dia vinte de novembro de mil novecentos e oitenta e nove, pelas Nações Unidas.

No entanto, mesmo com estes direitos feitos, ainda há quem não os respeite, mas isso é ilegal, e na minha opinião e na de muitas outras pessoas as crianças devem ser tratadas de acordo o que dizem os seus direitos, pois elas merecem isso tanto como quaisquer outras pessoas.

Eis os direitos das crianças:

  • Todas as pessoas com menos de 18 anos têm todos os direitos escritos nesta Convenção.
  • Têm todos esses direitos seja qual for a sua raça, sexo, língua ou religião. Não importa o país onde nasceram, se têm alguma deficiência, se são ricas os pobres.
  • Quando um adulto tem qualquer laço familiar, ou responsabilidade sobre uma criança, deverá fazer o que for melhor para ela.
  • Toda a gente deve reconhecer que têm direito à vida.

 

  • Têm direito a um nome e a serem registadas, têm direito a uma nacionalidade e o direito de conhecerem e serem educados pelos seus pais.
  • Não devem ser separadas dos seus pais, exceto se for para o seu próprio bem, como por exemplo, no caso de os seus pais a maltratarem ou não cuidarem de si. Se decidirem separar-se, têm de ficar a viver com um deles, mas têm o direito de contactar facilmente com os dois.
  • Se ela e os seus pais viverem em países diferentes, tem direito a regressar e viver junto deles.
  • Não devem ser raptadas mas, se tal acontecer, o governo deve fazer tudo o que for possível para as libertar.

Apesar de existirem cinquenta e quatro direitos, só estão aqui representados oito direitos fundamentais.

E está comprovado que tal como os adultos, e apesar de terem uma idade inferior, as crianças também têm os seus direitos, e assim se prova que a vida de uma criança é justa e privilegiada, defendida por todos os cinquenta e quatro direitos.

 

Catarina Carapinha, 11 anos

Read Full Post »

Nos últimos anos a pobreza em Portugal tem vindo a aumentar drasticamente, e neste momento Portugal encontra-se num nível de pobreza muito elevado.

O conceito de pobreza pode ser entendido como falta de bens, como carência de alimentação e vestuário, não ter saneamento básico e não ter alojamento. Mas a pobreza também pode ser entendida como a carência social, ou seja, estar excluído da sociedade, e a dependência e a incapacidade de participar na sociedade. Este conceito interfere também com a alimentação e com a informação.

A pobreza é causada por corrupção, mas não só. Também pode ser causada por discriminação social, devido à raça e género, pela exclusão social, por desastres naturais, como terramotos e tornados, consumo de drogas, o alcoolismo, e certos problemas de saúde, entre outras causas.

As principais consequências da pobreza são a fome, a baixa esperança de vida, as doenças, a falta de oportunidades de emprego, a carência de água potável e de saneamento, maiores riscos de instabilidade política e violência, a emigração, a existência de discriminação social contra grupos vulneráveis, a existência de pessoas sem-abrigo e a depressão.

Mas, como tudo na vida, a pobreza também se pode combater, evitando que se propaguem as principais causas que acabam por levar-nos à pobreza.

A pobreza não é exatamente exclusão social, mas estes dois conceitos estão ligados entre si.

A exclusão social é o conceito que refere a dificuldade ou os problemas sociais que levam ao isolamento e até à discriminação de uma determinada sociedade. Estes grupos que sofrem de exclusão social, precisam assim de uma estratégia de inserção de modo a que se possam integrar e serem aceites pela sociedade que os rodeia.

A pobreza pode levar a uma situação de exclusão social, no entanto, não é obrigatório que estes dois conceitos estejam totalmente interligados. Um trabalhador de uma classe social baixa, pode ser pobre e estar integrado na sua classe e comunidade. Deste modo, estados como a pobreza, o desemprego ou emprego precário, as minorias étnicas e ou culturais, os deficientes físicos e mentais, os sem-abrigo, trabalhadores informais e os idosos podem originar ser excluídos socialmente mas, não é obrigatório que o sejam.

As pessoas podem ser excluídas socialmente devido à sua raça, ao seu género, e às suas condições de vida, entre outras.

Na minha opinião e na opinião de muitos outros, não se deviam excluir da sociedade pessoas com características diferentes, pois ao fim e ao cabo, todos somos iguais, e todos merecemos ser tratados da mesma forma.

Na semana de quinze a dezanove de outubro celebra-se o combate à pobreza e à exclusão social. Apoiem esta causa!

Exemplo de reportagem sobre a pobreza e a exclusão social no âmbito da Semana Contra a Pobreza e a Exclusão Social.

Catarina Carapinha, 11 anos

Read Full Post »

Exercício de reportagem feito por um aluno do 6.º ano do Colégio de Alfragide

O sonho de Tiago Pires por água a baixo

Surf: O Rip Curl Pro perde uma das suas principais atrações. O Saca ficou a segundos do apuramento e não foi além da segunda ronda em Peniche.

            Milhares de pessoas juntaram-se na praia Supertubos, em Peniche, para assistir a mais uma prova do campeonato mundial de surf. Foram horas de espera, ao frio, para apoiar Tiago Pires. Faltava cerca de um minuto para o fim e o“Saca” parecia estar a caminho da terceira ronda. JCruz estragou a festa.

O estilo inconfundível de Jcruz, o campeão do mundo

No entanto, esta foi a melhor prestação do Saca no Rip Curl Pro. Na praia, estava sempre tudo em silêncio quando o português esperava pela onda. Mas mal Tiago se punha de pé em cima da prancha, o público reagia de uma forma entusiástica. Levantavam-se cartazes a apoiar o atleta e ouviam-se gritos para dar força ao Tiago. Mas não foi o suficiente.

Tiago Pires (32 anos), depois de ser eliminado, afirmou ao Jornal Digital, que teve hipóteses de vencer, apesar de reconhecer que a concorrência era alta. Também disse que ainda ,para mais, o JCruz está na prova. Para quem não sabe, JCruz é o campeão mundial de surf em titulo e está em primeiro lugar no campeonato. Tiago agradece a todas as pessoas que o apoiaram.

Através de uma sondagem feita a 100 pessoas com a seguinte pergunta: “Agora que Tiago Pires já não está na prova, tem preferência no vencedor?” 5% das pessoas respondeu que não, 25% respondeu que preferia que ganhasse um dos brasileiros em prova, por pertencer a um país lusófono. O resto respondeu que preferia que ganhasse o JCruz por ser o campeão mundial.

Tiago Pires é sempre uma das principais figuras da etapa portuguesa do campeonato do mundo. O diretor da Rip Curl Portugal destacou isso mesmo. “Foi muito emocionante. Já o estava a ver na terceira ronda”, confessou ao Jornal Digital. José Farinha afirmou que teria sido importante a sua continuidade em prova.

João Cruz, 10 anos

Read Full Post »