Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Março, 2011

O Livro Especial

 

Um dia uma menina que se chamava-se Luísa era filha única e um dia sentiu-se muito sozinha. -Pai! O que é que eu posso fazer para não me sentir sozinha? – perguntou ela um dia aos pais – Ah! Já sei, Pai, podem arranjar-me um irmão? – continuou ela.

-Não querida, íamos gastar muito dinheiro e ia dar muito trabalho. Mas sabes o que é que

podias fazer? – disseram eles.

-Não, o quê? – perguntou a Luísa.

-Podíamos ir comprar um livro em Carnaxide, na Feira do Livro.

-Um livro?! Mas eu ia sentir-me sozinha na mesma!

-Não te vais arrepender, acredita – repetiram os pais.

E lá foram eles à Feira do Livro. Quando lá chegaram, ao andar entre os stands das editoras,  a Luísa ouviu uma voz.

-Psst!Psst!

E ela, como não vislumbrasse ninguém a falar com ela,  ignorou a voz e virou a cabeça.

-olá, desculpa se te assustei – disse a voz outra vez – Eu só queria ver se me ouvias e queria ter um amigo. Ah,…e chamo-me « AMIZADE». Olha para o teu lado esquerdo e repara num livro roxo a dizer «AMIZADE».

A Luísa olhou e pensou para consigo:

-Que estranho! Um livro falou comigo.

-Sim, eu sou especial por causa do meu título e eu necessito de companhia – continuou ele.

-Olá, eu também preciso de companhia e tu pareces ser muito querido e assim é como se eu

tivesse um irmão .

-Tu também pareces ser querida.  Mas eu estou aqui muito sozinho porque  ninguém me quer comprar – disse o livro muito triste .

-Não te preocupes. Se quiseres, eu levo-te. Queres? – Perguntou a Luísa.

-Sim, quero muito! Iupi ! Iupi! Obrigado, muito obrigado! Disse o livro muito emocionado.

-Então espera um pouco , que eu vou perguntar aos meus pais.

E lá foi ela.

-Pai! Já encontrei um livro. Podes comprar-mo? – perguntou a Luísa

-Claro, filha, eu disse-te que ia ser fácil.

A Luísa pelo caminho estava a falar com o livro e os pais começaram a achar estranho e

-Querida, estás a falar com quem? – perguntaram eles, curiosos.

-Estou a falar com o meu livro.

-Está tão entusiasmada que até fala com o livro – disseram um para o outro.

Ao chegarem a casa a Luísa levou o livro para o seu quarto e perguntou-lhe tudo sobre ele,

como é que ele conseguia falar com humanos, como era a história dele…

Chegou a noite e o livro perguntou-lhe se ela queria que lhe lesse uma história e ela

disse que sim. E, todos os dias, durante as semanas seguintes, todos os meses eles os dois

inventavam, contavam histórias, brincavam, falavam juntos e assim tinham um amigo com

quem contar e com quem passar o tempo..

 

Joana Gaudêncio, 10 anos

Read Full Post »